foto-visita-escola-viva-sao-mateus-cort

Diretor do Grupo Águia Branca visita Escola Viva de São Mateus e fica admirado com o que vê

11/05/2017

Diretor de Relações Institucionais do Grupo Águia Branca e vice-presidente Institucional do Espírito Santo em Ação, Luiz Wagner Chieppe participou de uma comitiva que visitou o colégio de Ensino Fundamental e Médio Marita Motta Santos, de São Mateus, uma das 12 Escolas Vivas implantadas este ano no Espírito Santo. A visita, realizada em abril, contou também com a presença do secretário-executivo e do analista de projetos do movimento empresarial, Luciano Gollner e Thiago Agra, respectivamente. O grupo foi recebido pela diretora, Bruna Bonomo, e pelos 18 alunos acolhedores do colégio.

Durante a visita, o trio conheceu toda a estrutura e teve a oportunidade de ver de perto como está o funcionamento da escola, que reúne, hoje, cerca de 600 alunos, num total de 15 turmas – seis do Ensino Fundamental 2 e nove do Ensino Médio.

E embora a experiência do projeto de educação em tempo integral seja bastante nova, tanto para a equipe docente quanto para os alunos, a diretora garantiu que não enfrentou problemas de pouca procura.

“Não tivemos problema com captação de alunos. Aliás, nossa realidade é justamente o contrário! Mesmo com as turmas completas, sempre há pais buscando vagas para seus filhos”, destaca a educadora, que esteve à frente de um trabalho de mobilização junto à comunidade, ano passado, para divulgar o modelo diferenciado de educação e garantir as matrículas.

Outro detalhe que chama a atenção de Bruna nesses primeiros meses de Escola Viva diz respeito ao fator disciplina. As aulas na Marita Motta tiveram início em 6 de fevereiro e a diretora admite que esse tempo já foi suficiente para mudar o comportamento dos jovens. Segundo ela, os problemas disciplinares melhoraram em torno de 80%.

Nesse período, todos os projetos que envolvem o modelo do escola em tempo integral, como a tutoria, os clubes e as eletivas, já estão a todo vapor e neste momento a equipe pedagógica está trabalhando com os jovens a questão do protagonismo. “Entendemos esse ‘despertar’ como um processo e a tutoria está nos auxiliando bastante com os alunos neste momento, que é fundamental para nossos estudantes entenderem a essência do nosso modelo educacional”, destacou a gestora.

Outro fator especial de motivação, na sua visão e na opinião do professor de Física Gilberto Scandian, são os laboratórios, onde meninos e meninas, moças e rapazes têm a chance de unir conhecimentos técnicos e teóricos. “Quando se tem um ambiente propício para a aula prática favorecemos o aprendizado e o conhecimento, e não limitamos nossas aulas ao quadro e livro didático”, argumenta o professor, cujas experiências fazem o maior sucesso entre os alunos.

Durante o tempo em que esteve na escola, Chieppe teve a chance de conversar com duas alunas acolhedoras – estudantes que são escolhidos para receberem convidados e apresentarem o espaço: Esther Viana Guimarães, de 13 anos, aluna do 8º Ano que deseja médica com especialização em Dermatologia, e Ariana Nascimento da Silva, 17, que está no 2º Ano do Ensino Médio e sonha fazer Direto e atuar na área criminal.

“Saímos de uma realidade para outra, totalmente diferente e melhor, e o fato de não ficarmos presas às disciplinas regulares é um fator de motivação. A rotina de estudos é mais pesada, há dias em que o cansaço é muito, porém esse cansaço é recompensador”, fala Ariana.

Esther completou: “Como não ficamos apenas na sala de aula, estou me sentindo mais livre, com mais autonomia. O projeto de educação em tempo integral nos apresenta uma metodologia de ensino diferente de tudo o que já havia vivido e em alguns dias, de fato, chego em casa bem cansada. Mas isso faz parte de uma visão de futuro. O que estou vivendo hoje vou colher ali na frente”.

O diretor do Grupo Águia Branca ficou orgulhoso com tudo o que viu na instituição de São Mateus. “É inspirador ver duas meninas tão novas com seus projetos de vida tão bem alinhados e, da mesma forma, acompanhar de perto o ótimo funcionamento da escola, cujo novo modelo de educação foi implantado há tão pouco tempo. A população de São Mateus precisar vir conhecer este colégio”, destacou.

A metodologia do projeto de educação em tempo integral foi trazida pelo Espírito Santo em Ação em 2014, na época em que Luiz Wagner Chieppe era o presidente do movimento empresarial, ganhou a parceria do Governo do Estado, e conta com recursos financeiros da ArcelorMittal, Chocolates Garoto, Fibria, Fucape, Grupo Águia Branca, Instituto Natura, Instituto Sonho Grande, Samarco, Sicoob e Vale.

voltar

empresas do grupo

passageiros

Coligada

logística

comércio