Aridelmo Teixeira, presidente do Espírito Santo em Ação, ministro da Educação, Mendonça Filho e diretor de Relações Institucionais, Luiz Wagner Chieppe.

Em visita ao ES, ministro da Educação se diz maravilhado com projeto do qual o Grupo Águia Branca faz parte

18/07/2017

“A vinda do ministro da Educação, Mendonça Filho, ao Estado foi extremamente importante. Tivemos a oportunidade de mostrar a ele como a classe empresarial está comprometida com o projeto de educação em tempo integral, que é essencial para o desenvolvimento do País, e ouvimos muitos elogios. E a partir do momento que ele reconhece o trabalho, fica a certeza de que estamos no caminho certo e, de certa forma, garantimos a perenidade do processo”.

As palavras acima são do Diretor de Relações Institucionais do Grupo Águia Branca, Luiz Wagner Chieppe. Ele, que também é vice-presidente Institucional do Espírito Santo em Ação, acompanhou a visita do ministro na quinta-feira, 29 de junho.

Mendonça Filho veio a Vitória a convite do Espírito Santo em Ação para ver de perto o funcionamento do projeto de educação em tempo integral, já em funcionamento em 20 unidades escolares capixabas – 17 da rede estadual de ensino e três da rede municipal de Vitória.

Sua primeira parada foi na Escola Viva São Pedro, o primeiro colégio em sistema de tempo de integral implantado no Espírito Santo. A seguir, foi para a Escola de Ensino Municipal Anacleta Schneider Lucas, que está funcionando sob o mesmo modelo. E encerrou o compromisso num encontro com empresários e alguns deputados, também em Vitória, quando conheceu um pouco a estrutura do movimento empresarial e de como este inovador programa educacional chegou ao Estado.

Outro convidado especial daquela agenda educacional foi o presidente do ICE (Instituto de Co-responsabilidade pela Educação), Marcos Magalhães. Essa foi a entidade que desenvolveu a metodologia do projeto trazido ao Estado pelo Espírito Santo em Ação.

E além da presença e dos muitos elogios a este modelo de parceria público-privada de interesse público, Mendonça Filho trouxe consigo uma boa notícia: anunciou que o governo federal vai ampliar o apoio financeiro ao projeto, juntando-se, portanto, ao governo do Estado na geração de recursos para garantir a não apenas a ampliação, mas, sobretudo, a universalização do projeto.

As 17 escolas em tempo integral em funcionamento, hoje, se transformarão em 30 ano que vem e 45 em 2019. E seguindo o processo de expansão, a expectativa do presidente do Espírito Santo em Ação, Aridelmo Teixeira, é que até 2030 o projeto esteja universalizado. E o que isso significa? “Nosso objetivo é que daqui a 13 anos todo aluno que queira estudar uma escola em tempo integral possa realizar seu desejo”, explica.

Dizendo-se um apaixonado por educação, o ministro, que é profissional da área de Contabilidade, decidiu “enfrentar o debate” pela reforma do Ensino Médio por entender que o modelo padrão era inflexível e não levava em consideração os diferentes talentos, vontades, sonhos e desafios dos jovens. E ao falar de qualidade da educação, exaltou a experiência positiva do Espírito Santo em Ação no que diz respeito ao modelo do programa que foi inspirado no de Pernambuco, que, inclusive, é o estado natal dele e de Marcos Magalhães.

“Defendo que projetos como este combatem a evasão, otimizam recursos e competências. É disso que nossa educação precisa e vejo o Espírito Santo em Ação no caminho certo. Estou maravilhado com o que vi no Espírito Santo”.

Para viabilizar a contratação de consultorias responsáveis pela transferência da metodologia do projeto, o Espírito Santo em Ação conta com recursos financeiros da ArcelorMittal, Chocolates Garoto, Fibria, Fucape, Grupo Águia Branca, Instituto Natura, Instituto Sonho Grande, Samarco, Sicoob e Vale.

voltar

empresas do grupo

passageiros

logística

comércio