Alerta sobre Sarampo

Programa Cuidar alerta: vacinação contra o sarampo precisa da sua atenção

08/08/2019

Febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular, coriza e congestão nasal e mal-estar intenso. A princípio, você pode estar pensando que estamos falando da gripe, certo? Mas, não! Neste caso, estamos listando os sintomas do sarampo, que vem acompanhado, ainda, de manchas avermelhadas e, em muitos casos, lesões bastante dolorosas na boca.

A doença está no centro da discussão porque a doença está se alastrando. Segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde foram registrados, nos últimos 90 dias, 907 casos confirmados de sarampo no Brasil, em três estados: São Paulo (901), Rio de Janeiro (5) e Bahia (1).

No dia 12 de agosto foi confirmado o primeiro caso de sarampo no Espírito Santo, em seis anos, e outros dois seguem sob investigação, um em Vila Velha e outro em Viana.

Com a confirmação do caso no Estado, a estratégia de prevenção da disseminação da doença mudou! A orientação agora é que crianças a partir de seis meses até adultos de 49 anos que não tenham tomado as duas doses da vacina sejam vacinadas. Até semana passada, a vacinação estava valendo apenas para as crianças de seis meses a menores de um ano que estivessem com viagem marcada para áreas que apresentam surto ativo da doença.

O que é o sarampo

O sarampo é uma doença viral altamente contagiosa, onde uma pessoa com a doença pode contaminar até 12 pessoas. Os sintomas podem evoluir para complicações como pneumonia e inflamação do cérebro e levar, inclusive, as pessoas à morte.

A única forma de prevenção da doença é através da vacinação, de acordo com o calendário  nacional de vacinas. Quem tem entre um ano de idade e 49 anos também deve se vacinar, sendo que de um a 29 anos é preciso tomar duas doses da vacina tríplice viral, e de 30 a 49 anos, uma dose da vacina tríplice viral é o suficiente.

Vale lembrar que a chamada “dose zero” não substitui e não será considerada válida para fins do calendário nacional de vacinação da criança. A vacinação de rotina deve ser mantida independentemente do planejamento de viagens para os locais com surto ativo do sarampo ou não.

Fonte: TPA Saúde

voltar

empresas do grupo

passageiros

logística

comércio